Blog

Câncer de Pele – Não sinta na pele esta doença.

Câncer de Pele – Não sinta na pele esta doença.

Câncer de Pele – Não sinta na pele esta doença.

135 mil novos casos de câncer são registrados anualmente pelo Inca, sendo que o de pele responde por 25% de todos os diagnósticos realizados.

A Organização Mundial da Saúde estima que, no ano 2030, existirão 27 milhões de casos novos de câncer, 17 milhões de mortes pela doença e 75 milhões de pessoas vivendo com câncer.

Proteção diária

Erroneamente, a proteção solar é associada às atividades externas e ao lazer em praias e piscinas. No entanto, estima-se que cerca de 70% da exposição que sofremos é ocasional. Os danos da exposição ocasional são maiores porque a poluição atmosférica dos centros urbanos potencializa os efeitos danosos da radiação solar.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia afirma que a maioria dos casos de câncer da pele podem ser evitados com a adoção de medidas simples, como:

  • Usar filtro solar diariamente, não somente em momentos de lazer ou diversão. Apenas 32% dos brasileiros usam protetor solar durante todo o ano.
  • Evitar a exposição solar entre 10 e 16h.
  • Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.
  • Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.
  • Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.
  • Usar chapéus e camisetas.
  • Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.

 

O que é radiação UVA e UVB?

Radiação UVA – Penetra profundamente na pele e é a principal responsável pelo envelhecimento da pele e pelo câncer da pele.

Radiação UVB – Mais intensa entre as 10h e 16h, sendo a principal responsável pelas queimaduras solares e pela vermelhidão na pele.

 

Como escolher o filtro solar?

  • Verifique o FPS (fator de proteção solar), quanto aos raios UVA e UVB. O fator mínimo indicado é 30, mas ele deve aumentar de acordo com o fototipo.
  • Constate se o produto é resistente a água.
  • Defina o produto de acordo com seu tipo de pele e perfil. Quem tem a pele com tendência a acne deve optar pelas opções livres de óleo ou gel creme. Já aqueles que fazem muita atividade física e que suam bastante, devem evitar os géis, pois saem facilmente.

 

Fototipos

Fototipos I e II (pele muito clara) Geralmente fica vermelha e não bronzeia. O ideal são os protetores com FPS 60 ou acima.
Fototipos III e IV (pele morena) Opte pelo FPS 50 nas estações mais quentes e diminua para o FPS 30 nas temperaturas mais amenas.
Fototipos V e VI (pele escura) Geralmente não têm risco de queimadura, mas precisa ser protegida para evitar o câncer de pele com o FPS 30.

Aplicação do produto

  • Horário: pelo menos 15 minutos de antes de sair de casa.
  • Quantidade: Equivalente a uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo.
  • Periodicidade: A cada 2 horas se houver muita transpiração ou exposição solar prolongada. No dia a dia, pelo menos, duas vezes: pela manhã e antes de sair para o almoço.

IMPORTANTE: O uso deve ser diário, mesmo quando o tempo estiver frio ou nublado, pois a radiação UV atravessa as nuvens.

 

Câncer de pele

O câncer da pele pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegrecida ou uma ferida que não cicatriza.

O tipo mais comum, o não melanoma, tem letalidade baixa, mas os números alarmam os especialistas. A exposição excessiva ao sol é a principal causa da doença. O câncer de pele pode ser curado com facilidade se detectado precocemente. Por isso, examine regularmente sua pele e procure imediatamente um dermatologista caso perceba pintas ou sinais suspeitos.

 

Pintas ou sinais suspeitos

Calcule seu risco com a regra do ABCD:

A= lesão assimétrica
Assimétrico: Risco de ser maligno
Simétrico: Provavelmente benigno

B= bordas irregulares
Borda irregular: Risco de ser maligno
Borda regular: Provavelmente benigno

C= alteração de cor
Dois tons ou mais: Risco de ser maligno
Tom único: Provavelmente benigno

D= diâmetro maior que 6 mm
Superior a 6mm: Risco de ser maligno
Inferior a 6mm: Provavelmente benigno

Calculadora de Riscos

A Sociedade Brasileira de Dermatologia disponibiliza em seu site, uma Calculadora de Riscos para câncer de pele. Basta responder a um questionário feito por especialistas da SBD e, em seguida, o usuário receberá informações sobre a possibilidade de desenvolver a doença no futuro. Acesse aqui a Calculadora de Riscos para Câncer da Pele


IMPORTANTE: Nenhuma avaliação superficial ou até mesmo a calculadora de risco substituem a consulta e avaliação médica, são apenas de caráter informativo. A consulta com o especialista é essencial para o diagnóstico.

 

Grupos de maior incidência da doença

Pessoas com pele clara, sardas, cabelos claros ou ruivos e olhos claros fazem parte do grupo com maior risco de incidência da doença. Os que possuem antecedentes familiares com histórico da doença, queimaduras solares, incapacidade para bronzear e pintas também devem ter atenção e cuidados redobrados.

 

Como a incidência dos raios ultravioletas está cada vez mais agressiva em todo o planeta, todas as pessoas, independentemente do tipo de pele, devem estar atentas a exposição excessiva ao sol e proteger a pele dos efeitos da radiação UV (ultravioleta). Esta é a melhor estratégia para prevenir o melanoma e outros tipos de doenças de pele.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *