Blog

Doenças de outono inverno : conheça as mais comuns e previna-se.

Doenças de outono inverno : conheça as mais comuns e previna-se.

Doenças de outono inverno: conheça as mais comuns e previna-se.

Locais fechados, quedas de temperaturas, baixa umidade relativa do ar e clima seco são alguns dos principais causadores das doenças de outono inverno.
As doenças alérgicas podem ser desenvolvidas em qualquer época do ano, mas os fatores acima ajudam a desencadear as crises. O principal grupo de risco é composto por crianças, idosos e pacientes de doenças crônicas, por terem o organismo mais frágil.

Principais doenças de outono inverno

Rinite

Inflamação na mucosa do nariz.
Contágio: vírus, bactérias e fungos, assim como fatores irritantes que não são alérgicos (ex: odores fortes) podem desencadear a inflamação.
Sintomas: coceira e irritação no nariz, coriza, espirros e congestão nasal.

Otite

Inflamação na parte mais interna do ouvido. Atinge principalmente crianças.
Contágio: geralmente através dos agentes causadores de gripes, resfriados e da pneumonia.
Sintomas: dor de ouvido e febre.

Bronquite

Inflamação dos brônquios.
Contágio: origem alérgica ou iniciada por vírus e bactérias (mais raro). Se o sistema imunológico estiver indefeso, uma gripe pode iniciar uma alteração súbita, ou mesmo substâncias tóxicas encontradas no cigarro ou no ar poluído.
Sintomas: tosse, falta de ar, expectoração excessiva, febre, chiado ou dores no peito.

Gripe Comum

Doença respiratória causada pelo vírus influenza.
Contágio: transmissão feita através de tosses e espirros do infectado, entrando pelo nariz ou boca de outros indivíduos.
Sintomas: febre alta, tosse, secreção nasal, dor de garganta, dor de cabeça e no corpo, cansaço físico.

Resfriado

Assim como a gripe, atinge vias aéreas como nariz e garganta, mas a intensidade é menor.
Contágio: diversos vírus são responsáveis (rinovírus, parainfluenza e alguns tipos de adenovírus). Eles agridem a mucosa do nariz e, como resposta, o organismo ordena a produção de muco para eliminá-los.
Sintomas: espirros, congestão nasal e coriza.

Asma

Inflamação crônica de vias aéreas. Não tem cura, só tratamento.
Contágio: fatores externos. As crises são desencadeadas por ar seco, infecções, refluxo gastroesofágico, exercício físico entre outros.
Sintomas: tosse, chiado, sensação de pressão no peito e falta de ar.

Amidalite

Inflamação das amígdalas.
Contágio: o perigo está nas mudanças de temperatura.
Sintomas: dor de garganta, febre, inchaço no pescoço e mau hálito.

Sinusite

Inflamação nos seios da face. Geralmente acompanhada de rinite.
Contágio: assim como a rinite, diversos fatores como alergia, fungos, vírus e bactérias podem gerar a sinusite. Quem tem desvio de septo e pólipos nasais são fortes candidatos.
Sintomas: obstrução nasal, dor de cabeça e no rosto, coriza, tosse, alteração ou ausência do olfato.

Pneumonia

Inflamação nos pulmões.
Contágio: feito por diversos tipos de microorganismos (fungos, vírus, parasitas, bactérias). Se desenvolve facilmente caso o sistema de defesa esteja debilitado por gripe, tuberculose, alcoolismo, fumo, diabete e males do coração.
Sintomas: o começo é parecido com gripe, febre, mal-estar, tosse.
Pode haver dores no tórax, respiração curta e ofegante.

H1N1 (Influenza A)
O país passa por um surto da doença. A melhor maneira de prevenir-se é imunizando-se. Caso você não tenha se vacinado, ainda dá tempo.

Tratamentos

Qualquer tratamento deve ser prescrito por um médico especialista no assunto.
Ao sentir os sintomas, procure ajuda profissional.

 

Tempo seco: saiba como driblar os efeitos colaterais, clicando aqui.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *