Blog

Tempo seco: dicas práticas para evitar problemas de saúde

Tempo seco: dicas práticas para evitar problemas de saúde

Tempo seco: dicas práticas para evitar problemas de saúde

A baixa umidade do ar e o tempo seco afetam muito a nossa saúde. Além do incômodo e da sensação de cansaço, o clima pesado pode causar problemas respiratórios e alérgicos.

A Associação Brasileira de Alergia diz que 30% da população brasileira sofre com problemas alérgicos. E a tendência é piorar. A previsão é que 50% da população em 2050 seja prejudicada por alguma(s) doença(s) por causa de fumaça, poeira, queimadas, poluição, etc. Isso acontece porque a baixa umidade do ar provoca um ressecamento nas mucosas nasais facilitando o aparecimento de doenças, inclusive gripe e H1N1.

O cuidado deve ser redobrado no caso das crianças e idosos, pela fisiologia e fragilidade do organismo próprios das faixas etárias.

Entenda a umidade relativa do ar

Este termo significa o quanto de água na forma de vapor existe na atmosfera em relação ao total máximo que poderia existir, na temperatura observada. A umidade fica mais alta sempre que chove devido à evaporação que ocorre posteriormente, em áreas florestadas ou próximas aos rios e represas ou quanto a temperatura diminui. Confira os graus de criticidade da umidade do ar, segundo a OMS:

– Entre 21 e 30% – Estado de Atenção
– Entre 12 e 20% – Estado de Alerta
– Abaixo de 12% – Estado de Emergência

Tempo seco – principais doenças da época

Rinite alérgica, bronquite, asma, dermatite, faringite, laringite, conjuntivite alérgica, sinusite, pneumonia, além de desidratação, ressecamento da pele e sangramento nasal.

Dicas práticas para driblar os efeitos colaterais do tempo seco

– Beba bastante água durante o dia, no mínimo dois litros. Sucos naturais e água de coco também são boas opções.

– Procure consumir alimentos ricos em água como frutas (abacaxi, laranja, mamão, melancia, melão, uva e mexerica), verduras e legumes (abobrinha, alface, tomate, batata, chuchu, rúcula, repolho, cenoura, beterraba, rabanete e pepino).

– Se sentir necessidade, use soro fisiológico no nariz e colírio nos olhos.

– Evite o ar condicionado, pois ele deixa o ar ainda mais seco. Mas se você estiver no trânsito, prefira-o à exposição a poeira e a fumaça de carros.

– Em casa, abuse dos vaporizadores, principalmente na hora de dormir. Quem não tiver pode usar toalhas molhadas ou bacias com água para ter uma noite mais tranquila.

– Mantenha a casa limpa, sem poeira e arejada.

– Para o caso de noites mais frias, os mais alérgicos devem evitar cobertores e, se usarem mantas ou blusas, expor as peças ao sol antes de usar.

– Evite banhos longos e quentes para não ressecar a pele.

– Use cremes hidratantes para evitar o ressecamento da pele.

– Pratique atividades físicas na parte da manhã, no máximo até às 10h, ou no final da tarde, a partir das 17h.

– Use roupas leves nos dias mais quentes e sempre se proteja com protetor solar.

– Evite aglomerações em ambientes fechados.

Se você costuma ter problemas alérgicos e respiratórios, mantenha o sinal de alerta ligado. Qualquer sinal de uma possível crise, procure um especialista.

1 Comentários

  1. Pingback: Doenças de outono inverno: conheça as mais comuns e previna-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *