Dia Mundial da Saúde: Você está cuidando bem da sua?

Comunicação e Marketing

Voltar ao índice

Dia Mundial da Saúde: Você está cuidando bem da sua?

Escolhas saudáveis são fundamentais para uma vida com mais qualidade. Algumas mudanças podem ajudar você e sua família a viverem com mais tranquilidade, felicidade e bem-estar, prevenindo doenças crônicas como diabetes, doenças do coração, hipertensão, câncer, entre outras. As doenças crônicas são uma das principais causas de mortes prematuras e responsáveis por cerca de 60% das mortes no mundo. No entanto, a maioria delas pode ser evitada com melhorias dos hábitos alimentares, aumento do nível de atividade física, desistência do ato de fumar e redução do abuso do álcool. Essa foi a conclusão que a World Health Professions Alliance (WHPA) chegou ao desenvolver o Plano de Melhoria da Saúde, um cartão de pontuação sobre saúde com orientações explicativas para indivíduos e profissionais da área, traduzido e adaptado pela Associação Médica Brasileira (AMB). Abaixo você confere sugestões e dados valiosos desenvolvidos por profissionais qualificados.

4 fatores de risco à sua qualidade de vida

Simples modificações na alimentação, na prática de atividade física, no uso do cigarro e do álcool podem causar efeitos positivos na sua qualidade de vida a longo prazo. Na tabela abaixo você confere as consequências em potencial (-) e as ações que devem ser tomadas (+) em cada um dos itens citados acima. As cores verde, amarelo e vermelho mostram o que precisa para atingir como meta; o que precisa ser melhorado como precaução e o que deve ser evitado como alto risco.  

4 avaliações para monitorar o impacto do seu estilo de vida na sua saúde

Calculo do IMC: O Índice de Massa Corporal (IMC) é apenas uma forma de mensurar o nível de gordura corporal e pode ser calculado medindo-se o peso em quilos, dividido pela altura em metros quadrados. IMC = peso (kg)/ altura (m) x altura (m) = ( ) kg/m2

Dicas práticas

Alimentação - Aumente o consumo de frutas, legumes e verduras, grãos integrais e nozes. É recomendada a ingestão de pelo menos cinco porções de tipos diferentes de frutas, legumes e verduras todos os dias. É mais fácil do que parece: um copo com 100% de suco natural de frutas, sem açúcar, pode representar uma porção. A mesma coisa também vale para vegetais cozidos. - Tenha em mente que, mesmo quando o sal não é adicionado na comida, é possível estar comendo sal demais: cerca de três quartos do sal que comemos já está nos alimentos que compramos, tais como cereais, sopas, pães e salgadinhos, batata frita entre outros. - Escolha alimentos que contenham gorduras insaturadas, como azeite de oliva, sementes, óleos de peixes, nozes e abacates. Tente cortar alimentos que contenham gorduras saturadas, como bolos, tortas, biscoitos, salsichas, cremes, manteiga, toucinho e queijo amarelo. - É aceitável consumir açúcares encontrados naturalmente nos alimentos, como nas frutas e no leite, mas tente realmente cortar os alimentos que contenham açúcar adicionado, tais como refrigerantes, bolos, biscoitos, balas e massas. Atividade Física - Escolha atividades que você goste. Não tenha medo de experimentar ou mudar a atividade regularmente para não se sentir entediado. - Convide amigos e familiares para ir com você. Monte um time de aliados da saúde. - Comece aos poucos e vá aumentando gradativamente. No começo, o tempo não é um fator preocupante, mantenha o foco na regularidade. - Inicialmente, estabeleça para si metas fáceis, realistas e de curto prazo para serem atingidas. À medida que for avançando, estabeleça metas ou objetivos diários, semanais ou mensais. Se você atingir suas metas, recompense-se. Tente não se desencorajar, caso não tenha atingido uma meta ou um novo objetivo. - Se você não tem muito tempo para entrar numa academia ou escola de esportes, não tem problema. Procure alternativas para exercitar-se, como: Para pequenas distâncias, esqueça o carro, vá de bike. Desça um ou alguns pontos antes do seu destino final e complete o percurso a pé. Em casa, não fique só parado na frente da TV. Algumas atividades domésticas exigem esforços e equivalem a exercícios físicos. Esqueça o vídeo game. Que tal brincar com as crianças de esconde-esconde, pega-pega, pular corda, jogar bola? Ao encontrar com os amigos, ao invés do churrasco, vocês podem optar por jogar uma partida de futebol, sair para dançar ou ir a um parque. Cigarro - O primeiro passo é decidir realmente parar: prometa a si mesmo que você o fará. É normal ter sentimentos ambíguos. Não deixe que isso o desanime. Haverá momentos, todos os dias, em que você irá sentir vontade de fumar. Mantenha-se firme! - Encontre razões significativas para você chegar lá, exemplos: pense no dinheiro economizado; no tempo livre que você ganhará ao deixar de fazer intervalos para fumar, sair para comprar cigarros ou para achar o isqueiro; em ter mais fôlego e menos tosse; no exemplo positivo para sua família entre outros. Faça a sua própria lista de motivos e deixe sempre a vista: na carteira, no carro, na cozinha, na mesa do trabalho. - 5 atitudes importantes: Estabeleça uma data para deixar de fumar. Diga à família, aos amigos e aos colegas de trabalho que você planeja parar de fumar. Prepare-se para os desafios que você enfrentará, quando estiver deixando de fumar. Remova cigarros e tudo aquilo relacionado ao fumo de sua casa, carro e local de trabalho. Converse com um profissional de saúde sobre como obter ajuda para deixar de fumar e/ou faça uma terapia de substituição de nicotina. -  Quando chegar o dia ?D?: Lembre sua família e amigos e peça apoio durante os primeiros dias e semanas. Participe de programas de apoio em clínicas ou grupos de apoio ao fumante. Mantenha-se ocupado. Fique longe daquilo que lhe dá vontade de fumar. - Mantenha-se forte e determinado no objetivo de combater o vício da nicotina. A falta de nicotina vai provocar mudanças no seu corpo e, muitas vezes, situações podem desencadear uma forte vontade de fumar. Você pode se sentir um pouco de cansaço e desânimo, mas seja persistente. A sua mente e o seu corpo apenas precisam se acostumar a funcionar sem nicotina.   Fontes: ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar); AMB (Associação Médica Brasileira); WHPA (World Health Professions Alliance)

Voltar ao índice