Dia Mundial de luta contra as Hepatites Virais

Comunicação e Marketing

Voltar ao índice

Hepatites virais no Brasil

(dados do Ministério da Saúde) 3 milhões de brasileiros contaminados 1 a cada 3 transplantes de fígado são decorrentes de complicações de Hepatite C Hepatite C é a que mais mata: 70% dos óbitos  

Hepatites virais no mundo

(dados do World Hepatitis Alliance e OMS) Causam doenças que matam 1,5 milhão de pessoas por ano 500 milhões de pessoas infectadas pelas hepatites B e C 10 x mais infecciosas que o HIV/AIDS Responsáveis por 80% dos casos de câncer de fígado  

Tipos de Vírus

Hepatite é uma degeneração sofrida pelo fígado por causas diversas, sendo as mais frequentes as infecções pelos vírus tipo A, B e C e o abuso do consumo de álcool ou outras substâncias (até mesmo remédios). Ainda existem os tipos D, que é uma evolução da B; E, rara no Brasil e G, mais comum em usuários de drogas injetáveis.  

Qual é a função do fígado?

Maior glândula do organismo. Mantém as reservas de ferro, vitaminas e sais minerais necessários para nossa saúde. Responsável pela produção da bile, liquido ácido que ajuda na digestão dos alimentos e, assim, desintoxica o organismo agindo como detergente de gorduras. Além disso, o fígado ainda armazena glicose para ser utilizada quando o corpo precisar de energia. Tudo isso pode ser prejudicado se a hepatite atingir o órgão.  

Hepatite A

Transmitida de pessoa para pessoa e através de alimentos ou água contaminados. O diagnóstico da hepatite A se faz por exame de sangue e não há tratamento específico, o corpo reagirá sozinho contra a doença. A melhor maneira de evitá-la é consumindo alimentos bem cozidos (em especial frutos do mar, ostras e mariscos), beber somente água filtrada, tratada ou mineral e sempre lavar as mãos antes das refeições e depois de usar o banheiro. A vacina contra a hepatite A é disponibilizada apenas em clínicas particulares.

Hepatite B

Transmitida de mãe para filho (gestação, parto e amamentação), contato sexual, compartilhamento de objetos cortantes (lâminas de barbear, alicate) ou de uso pessoal (escova de dente) e até mesmo em procedimentos (dentista, tatuagem, depilação). Pode ser evitada por meio de vacinação, disponível gratuitamente nos Postos de Saúde. Geralmente não apresenta sintomas, mas, se presentes, são febre, pele e olhos amarelados, náusea e vômitos, mal-estar, desconforto abdominal, falta de apetite, urina com cor de coca-cola e fezes esbranquiçadas. O diagnóstico é feito por exame de sangue. Age silenciosamente durante 20, 30 anos. Leva à cirrose, ao câncer de fígado e à morte. As curas totais são raras, mas é possível conviver com a doença, tratando-a por períodos de tempo variáveis.

Hepatite C

Transmitida da mesma maneira que a hepatite B. O diagnóstico é feito por exames laboratoriais. A evolução da enfermidade costuma ser lenta e o diagnóstico tardio. A maioria dos portadores só percebe que está doente, muito tempo depois, quando apresenta um quadro grave de hepatite crônica com risco de desenvolver complicações, como cirrose, câncer no fígado e insuficiência hepática. É a principal causa de transplantes de fígado, respondendo por 40% dos casos. Não tem vacina. Porém, 90% dos casos são curáveis.   O diagnóstico precoce pode salvar vidas. A maioria dos portadores nem imagina que tem hepatite. Um simples exame pode diagnosticar a doença e o tratamento poderá ser iniciado.   Fontes: sites ABPH (Assocação Brasileira de Portadores de Hepatite), Hepatite Zero, Drauzio Varella e Minha Vida

Voltar ao índice