Janeiro Roxo – Saiba o que é hanseníase e previna-se

O Brasil é o segundo país no mundo com mais casos de hanseníase, perdendo apenas para a Índia.


O que é hanseníase?

É uma doença infectocontagiosa que se manifesta principalmente por meio de lesões na pele e sintomas neurológicos como dormências e diminuição de força nas mãos e nos pés. É causada pelo bacilo Mycobacterium leprae ou bacilo-de-hansen.


Como a hanseníase é transmitida?

A transmissão ocorre pela respiração no contato com pacientes ainda não tratados. Mas é necessário um longo período de exposição ao bacilo para que a transmissão ocorra. Além disso, o período de incubação (tempo entre a infecção e os primeiros sintomas) é longo, durando em média de 2 a 7 anos.


Quais são os sintomas da hanseníase?

– Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.

– Áreas com diminuição dos pelos e do suor.

– Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas.- Inchaço de mãos e pés.

– Diminuição da sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos.

– Úlceras de pernas e pés.

– Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos.

– Febre, edemas e dor nas juntas.

– Entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz.

– Ressecamento nos olhos.

Ao identificar um ou mais sintomas, procure um dermatologista.

A hanseníase é considerada uma das doenças mais antigas do mundo. Antes era chamada de lepra, mas no Brasil o termo foi substituído devido ao preconceito que existe. Por muito tempo a doença não tinha cura e era necessário isolar os pacientes. Atualmente a hanseníase tem cura, o isolamento não é necessário e o tratamento é a base de medicamentos, com duração de seis a doze meses.


Fontes: Ministério da Saúde, Sociedade Brasileira de Dermatologia